22 de set de 2009

Lula barra Cristovam


Há mais ou menos três semanas, Lula chamou Carlos Lupi, ministro do Trabalho e presidente nacional do PDT, para uma reunião em seu gabinete no Centro Cultural Banco do Brasil. O Palácio do Planalto está em reforma.
Conversa vai sobre economia, conversa vem sobre generalidades políticas, Lula finalmente puxou o assunto que o interessava: Cristovam Buarque, senador pelo PDT do Distrito Federal.
Cristovam foi do PT depois que saiu do PDT de Leonel Brizola no início dos anos 90.
E pelo PT disputou o governo do Distrito Federal em 1994 - venceu. Disputou a reeleição em 1998 - perdeu. Disputou e venceu a eleição de 2002 para Senador.
Foi ministro da Educação no primeiro ano do governo Lula. E Lula o demitiu por telefone quando Cristovam visitava Portugal em missão oficial. Mais tarde, Cristovam trocou o PT pelo PDT.
Na conversa com Lupi, Lula pediu para que o PDT não lance Cristovam como candidato ao Senado no próximo ano.
Todas as pesquisas de intenção de voto aplicadas até aqui no Distrito Federal apontam Cristovam como o candidato mais forte para uma vaga no Senado. Ele tem quase 30% do primeiro voto do eleitor (são duas vagas de senador) e pouco mais de 20% do segundo.
Lula não se conforma com as críticas que Cristovam faz ao governo em discursos no Senado.
Lupi reagiu à sugestão. Disse que Cristovam é um dos nomes do PDT com maior número de votos. E que o partido não poderia lhe negar legenda. Ninguém entenderia.
Em 2006, Cristovam disputou pelo PDT a presidência da República. Fez da defesa da educação seu mote de campanha. Colheu menos de 3% dos votos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário