29 de dez de 2010

Delegada vai chefiar Polícia Civil


Pela primeira vez na história, uma mulher vai comandar a Polícia Civil do DF, considerada uma das mais eficientes do País. Trata-se da delegada Mailene Alvarenga, titular da Delegacia de Capturas. Há duas semanas ela meteu na cadeia, em um só dia, 75 foragidos da Justiça.

27 de dez de 2010

Novo GDF: Sem equipes amplas, pastas recem-criadas devem reativar áreas esquecidas

Referência constante nos discursos de campanha do governador eleito Agnelo Queiroz, a criação de novas secretarias no GDF terá papel diferente do imaginado. Elas funcionarão como braços de algumas pastas que já existiam. Tudo isso sem onerar a máquina pública. Mesmo com a garantia de trabalharem enxutas, o principal alvo é reforçar o trabalho em áreas consideradas abandonadas pelas gestões anteriores.

Uma das pastas terá a missão de reduzir o índice de crianças e adolescentes fora da escola ou envolvidas com o consumo e até o tráfico de drogas. É a Secretaria da Criança. Uma série de ações será desenvolvidaa no próximo ano em parceria com as pastas de Segurança, Desenvolvimento Social e Educação.

A ideia de Agnelo Queiroz é começar o trabalho preventivo e de conscientização desde a base, garantindo proteção e educação a crianças até 3 anos. "A Secretaria de Educação terá uma participação muito efetiva neste trabalho, atuando de forma conjunta com a pasta da Criança", afirmou a futura secretária de Comunicação do GDF, Samanta Sallum. Para garantir um trabalho que renda frutos para o novo governo, a pasta da Criança ficará a cargo do médico pediatra Dioclécio Campos Júnior, que é professor titular de pediatria da Universidade de Brasília (UnB) e foi presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Com informações do clicabrasília.

22 de dez de 2010

Veja os suplentes que assumirão mandatos

Cinco suplentes assumirão no lugar dos deputados eleitos. Na Câmara Federal, no lugar de Paulo Tadeu (PT), secretário de Governo, entra Roberto Policarpo, presidente do partido. O segundo suplente da coligação, Augusto Carvalho (PPS), assumirá a vaga de Geraldo Magela (PT), novo secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação. Luiz Pitiman (PMDB) comandará a pasta de Obras e, com isso, dá lugar a Ricardo Quirino, do PRB.
Na Câmara Legislativa, Arlete Sampaio (PT) ocupará a Secretaria de Ação Social e, assim, Rejane Pitanga, presidente da CUT-DF, assume a vaga. Alírio Neto (PPS) irá novamente para Secretaria de Justiça e Luzia de Paula assume o mandato na CLDF.

21 de dez de 2010

mais 17 nomes que vão compor o secretariado do governo Agnelo

O governador eleito Agnelo Queiroz divulgou nesta terça-feira (21/12) mais 17 nomes que vão compor o seu secretariado. Ontem sete nomes do primeiro escalão do governo de Agnelo Queiroz (PT) foram anunciados no fim da tarde pela equipe de transição. Confira os escolhidos abaixo:

Casa Civil do Distrito Federal – Jacques Pena, ex-presidente da Fundação Banco do Brasil, se afastou após sete anos no cargo para coordenar a campanha da presidente Dilma Rousseff em Brasília. É ex-presidente do Sindicato dos Bancários do DF e ex-administrador regional de Samambaia durante o governo Cristovam Buarque

Secretaria da Criança – Dioclécio Campos Júnior, médico pediatra, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Pediatria.

Secretaria da Juventude – Fernando Nascimento Silva Neto, natural de Brasília, formado em Ciência Política e Direito, é membro da Comissão de Assuntos Acadêmicos da seccional do DF da Ordem dos Advogados do Brasil

Secretaria da Mulher – Olgamir Amância Ferreira, professora da Universidade de Brasília, doutora em Educação na área de Políticas Públicas, é a atual secretária de Mulheres do PCdoB.

Secretaria do Trabalho – Glauco Rojas, publicitário, é o atual chefe de gabinete da liderança do PDT na Câmara dos Deputados (deputado Brizola Neto) e integra a Juventude do PDT, trabalhou no Ministério do Trabalho

Secretaria de Micro e Pequena Empresa e Economia Solidária – Dirsomar Ferreira Chaves, natural de Morrinhos (GO), formado em Filosofia, atualmente é coordenador do escritório de representação da Eletronuclear no DF e presidente da Associação Comunitária de Vincente Pires.

Secretaria de Desenvolvimento Econômico – José Moacir de Sousa Vieira, empresário de Ceilândia, dono da rede de lojas de material de construção Maranata.

Secretaria de Obras – Luiz Carlos Pitiman (PMDB)

Secretaria de Agricultura – Lúcio Taveira Valadão – Engenheiro agrônomo formado pela Universidade de Brasília, mestre em irrigação e drenagem pela Universidade Estadual Paulista.

Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania – Alírio Neto (PPS)

Secretaria de Ciência e Tecnologia – Gastão Ramos (PSB)

Secretaria de Transportes – José Valter Vasquez foi diretor da Companhia Elétrica de Brasília e é o atual presidente da Companhia Elétrica do Estado do Goiás, foi indicado pelo vice-governador Tadeu Filippelli.

Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação – Geraldo Magela (PT)

Secretaria da Ordem Pública e Social – Agrício da Silva, Tenente-Coronel da Polícia Militar do DF, atual comandante do 21º Batalhão (responsável pelo policiamento de São Sebastião), tem experiência operacional, com formação na área de operações especiais, gerenciamento de crise e negociação de conflitos.

Secretaria de Administração – Denílson Bento da Costa, formado em História.

Secretaria de Educação, secretário-geral da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação).

Secretaria de Cultura – Hamilton Pereira, ex-secretário de Cultura do DF (governo Cristovam Buarque), membro da Diretoria da Fundação Perseu Abramo.

Secretaria Especial de Assuntos Estratégicos – Newton Lins, advogado, engenheiro florestal e atual presidente do PSL no Distrito Federal.

Agnelo anuncia secretariado aos poucos


Veja os nomes dos primeiros secretários confirmados do governo Agnelo Queiroz.

Turismo- Luís Otávio Neves (PSB)
Governo - Paulo Tadeu (PT)
Meio Ambiente - Eduardo Brandão (PV)
Educação - Regina Vinhaes
Ação Social - Arlete Sampaio (PT)
Segurança - Daniel Lorenz
Saúde - Rafael Barbosa
Fazenda - Valdir Moyses
Comunicação - Samanta Sallum.

Os demais nomes serão anunciados até sexta-feira juntamente com os Administradores Regionais.

15 de dez de 2010

Valdir Moyses será o Secretário de Fazenda do DF


Confirmado mais um nome para o secretariado de Agnelo Queiroz: Valdir Moyses (foto), atual presidente do INSS, será o novo secretário de Fazenda do DF. Moyses é auditor-fiscal da Receita Federal e tem o perfil técnico e a experiência desejadas por Agnelo para cuidar de áreas chaves do GDF. O futuro secretário assumiu o INSS em 2008 e foi responsável pela reestruturação do órgão, com informatização e melhoria na qualidade do atendimento.

13 de dez de 2010

Rogério Leite Chaves será o procurador-geral do DF


O governador eleito, Agnelo Queiroz, confirmou um dos nomes de sua equipe. O subprocurador Rogério Leite Chaves será o procurador-geral do DF. Conselheiro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-DF), ele tem o apoio do presidente da entidade, Francisco Caputo, e do advogado Claudismar Zupiroli, que trabalha para o PT e atuou na campanha.
Rogério Leite está na carreira há 17 anos. Outros três nomes foram cotados: Beatriz Kicis, Deirdre de Aquino e Renato Alves, que é presidente do Sindicato dos Procuradores do DF. O novo procurador vai substituir Marcelo Lavocat Galvão.

Com informações do blog da Ana Maria Campos.

9 de dez de 2010

Três nomes antecipados para Secretarias do GDF

Três nomes confirmados para a equipe de Agnelo Queiroz: o deputado federal eleito Paulo Tadeu (PT) deve ser confirmado como secretário de Governo, Rafael Aguiar como secretário de Saúde e
a deputada distrital eleita Arlete Sampaio (PT) confirmou que fará parte do novo governo do Distrito Federal. Arlete admitiu que será secretária durante solenidade na Câmara Legislativa na manhã desta quinta-feira (9). Apesar de não ter confirmado qual pasta assumirá, a aposta é de que a distrital cuidará do Desenvolvimento Social.

Tadeu afirmou que os debates e acordos do governo Agnelo serão “públicos e transparentes”. Vamos tirar o governo do submundo, onde ficou durante o governo Arruda. Não vamos repetir este comportamento”, criticou, depois de afirmar que pretendem conversar com “quem quer que seja, até mesmo da oposição”. Pelo visto, as negociações entre futuro governo e Câmara Legislativa andaram esquentando.

8 de dez de 2010

Luta conta podofilia


De acordo com Mário Gil, Coordenador do Projeto todos contra a pedofilia no Distrito Federal, já foram realizada 102 palestras em 57 escolas públicas e privadas do DF. "Tivemos como público ouvinte, entre alunos, professores e pais, um total de 12.210 pesoas. Já temos palestras agendadas para os meses de fevereiro e março de 2011".

Gim não aguenta pressão e pede pra sair


O senador Gim Argello (PTB-DF) renunciou à relatoria do Orçamento da União de 2011. Ele caiu depois das denúncias do Estado de envolvimento dele com emendas parlamentares para entidades fantasmas e empresas de fachadas em nome de laranjas.

Depois de ceder à pressão Gim encaminhou ao Tribunal de Contas da União e à Procuradoria Geral da União ofícios pedindo a investigação das denúncias veículadas pelo jornal O Estado de São Paulo de irregularidades nas emendas apresentadas ao Orçamento federal. O Senador explica nos documentos que não está envolvido nas supostas fraudes e, para isso, precisa que o caso seja investigado e esclarecido. Desde segunda-feira (6), porém, o Ministério Público junto ao TCU já havia decidido investigar o caso e recomendado aos ministérios envolvidos que abrissem investigação interna para apurar as denúncias.
Em substituição a Gim Argello, a relatoria do Orçamento ficará sob a responsabilidade da senadora Ideli Salvatti (PT-SC).

7 de dez de 2010

Democratas pede afastamento de GIM da relatoria do Orçamento

O DEM pediu hoje a destituição do senador Gim Argello (PTB) da função de relator do projeto de Orçamento da União para o próximo ano. Reportagens publicadas pelo jornal O Estado de S. Paulo desde domingo revelam um esquema fraudulento de destinação de verbas do orçamento para institutos fantasmas e laranjas, que têm convênios para a realização de eventos culturais e de turismo.
Apesar do pedido, o DEM quer a manutenção do calendário que prevê a votação do orçamento ainda neste ano, antes do recesso parlamentar com início previsto para o dia 23 de dezembro. O partido ainda exige "a apuração das denúncias, e rigorosa punição aos responsáveis, no caso de comprovação das irregularidades". O comunicado é assinado pelo líder da legenda na Câmara, Paulo Bornhausen.

Distritais se assustam com o tamanho do orçamento da Casa para 2011


O prosseguimento do ditado popular que está no título é "...o santo desconfia". E foi exatamente isso que fizeram os distritais, ontem, ao saberem da previsão de orçamento para a Câmara Legislativa, em 2011: de R$ 350 milhões. Ficaram assustados com tanto dinheiro.

"Fiquei decepcionado com essa despesa tão alta", desabafou o distrital Olair Francisco (PTdoB). E acrescentou: "Não posso dar uma opinião mais profunda antes de conhecer de perto os dados, mas confesso que esses valores me deixaram incomodado", ressaltou o deputado eleito.

Entre observações contundentes sobre a fartura orçamentária e outras mais contidas, prevaleceram as promessas de moralização e de resgate da imagem da Câmara perante a opinião pública. Wasny de Roure (PT), que retorna à Câmara após oito anos, evitou fazer crítica às cifras.

Por outro lado, fez coro com o sentimento de se apostar na austeridade para resgatar a credibilidade da Casa. "Não podemos permitir que os interesses maiores fiquem em detrimento dos menores", comparou, ao comparar a função política e o custo do funcionamento da Câmara.

Com informações do clicabrasilia.

6 de dez de 2010

Demora na definição de nomes para o GDF é atribuída ao caos encontrado


Eleito para administrar uma terra arrasada a partir do escândalo do "mensalão do DEM", o qual levou um governador à prisão, o petista Agnelo Queiroz comanda hoje o processo mais lento de transição de governo no País. Não há um único secretário escolhido e anunciado no Distrito Federal, onde a saúde entrou em colapso, as greves de funcionários deixam as vias de acesso à Esplanada dos Ministérios repletas de buracos e o mato ameaça tomar conta dos jardins da cidade.

Diante do acúmulo de problemas, Agnelo consumiu os últimos 30 dias levantando dados da administração local e batendo à porta de alguns ministérios, como o da Saúde, para resolvê-los. Só nesta semana começou a fazer as primeiras consultas para compor a equipe com 12 partidos aliados. Não bastasse a disputa entre o PT e o PMDB do vice-governador Tadeu Filippelli, a pressão por cargos vem de todo lado. Até o ex-ministro José Dirceu deverá emplacar apadrinhados no governo do DF.

Segundo Abimael Nunes, um dos nomes fortes na equipe de transição de Agnelo, a demora para a definição dos principais cargos do GDF tem nome e sobrenome. "Nós vamos receber uma máquina com muitos problemas. A cada dia descobrimos mais problemas. O governador está trabalhando com os deputados distritais para que incluam propostas no orçamento que vão ajudar o governo. Ele está trabalhando intensamente com o Governo Federal para que o DF receba um melhor aporte financeiro. São coisas que consomem tempo. Ele não podia deixá-las de lado. Esperar para resolvê-las no ano que vem poderia ser tarde demais", justifica.

Com informações do clicabrasilia.

2 de dez de 2010

Os cotados para secretários do governo Agnelo


Nomes trabalhados pelos partidos e grupos políticos para ocupar o primeiro escalão do governo Agnelo:


» Desenvolvimento Social — Arlete Sampaio (PT)

» Educação — Marcelo Aguiar, Antônio Lisboa, Erastos Fortes e Nadja Veloso

» Saúde — Rafael Barbosa

» Trabalho — Pasta de interesse do PDT, Jacques Pena (PT)

» Esportes — Paulo Tadeu (PT)

» Turismo — Marcelo Dourado e Geraldo Bentes (nomes ligados ao PSB)

» Agricultura — Joe Valle (PSB)

» Desenvolvimento Econômico — Gastão Ramos (PSB)

» Ciência e Tecnologia — de interesse do PSB

» Justiça — Chico Leite (PT), Alírio Neto (PPS)

» Transportes — Chico Leite (PT)

» Obras — de interesse do PMDB, José Humberto

» Habitação — Jacques Pena (PT)

» Desenvolvimento Urbano — interesse do grupo de Geraldo Magela (PT)

» Cultura — Geraldo Magela (PT)

» Direitos Humanos — Érika Kokay (PT)

» DER — interesse do PMDB

» Novacap — interesse do PMDB.

Com informações do Correio Braziliense.

1 de dez de 2010

Justiça bloqueia bens de Rôney Nemer

O distrital Rôney Nemer (PMDB) está proibido pela Justiça do Distrito Federal de movimentar o próprio patrimônio. Deputado reeleito em outubro, ele teve os bens bloqueados por decisão do juiz Álvaro Luis Ciarlini, da Segunda Vara de Fazenda Pública. Rôney é o sexto político alvo de ação cautelar do Ministério Público (MP) proposta com objetivo de criar garantias de que os cofres públicos serão recompensados, caso os parlamentares citados na Operação Caixa de Pandora sejam condenados por improbidade administrativa.
Promotores de Justiça do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas (Ncoc) do MP estipularam como valor da causa movida contra Rôney Nemer R$ 2.888.448. A quantia refere-se à soma de parcelas que o distrital teria recebido como mesada para votar de acordo com os interesses do governo durante exercício de mandato na Câmara Legislativa. O valor também leva em conta, a título de danos morais para a população, despesas como a verba de gabinete para pagamento de assessores.
Assim como outros nove colegas de legislatura, Rôney Nemer foi citado no Inquérito nº 650 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) por suposto envolvimento com a Caixa de Pandora, operação do Ministério Público e da Polícia Federal (PF) que apura esquema criminoso de pagamento de propina, compra de deputados e desvio de recursos públicos no DF. O nome de Rôney aparece em conversa na qual o então chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, diz ao governador na época, José Roberto Arruda, que o deputado recebia R$ 11,5 mil do assessor de imprensa Omézio Pontes.
Apesar da denúncia, Rôney Nemer foi reeleito em outubro, com 17.778 votos. Na semana passada, ele e os colegas Aylton Gomes (PR), Benício Tavares (PMDB), Benedito Domingos (PP) e Rogério Ulysses (PRTB), também suspeitos de envolvimento com a Caixa de Pandora, receberam presente de Natal antecipado. Foram poupados de responder a processo político por quebra de decoro parlamentar. Três dos cinco integrantes da Comissão de Ética da Casa - Aguinaldo de Jesus (PRB), Batista das Cooperativas (PRP) e Paulo Roriz (DEM) - arquivaram o processo contra os políticos na mira do Inquérito 650 do STJ.
Prejuízo milionário
Rôney Nemer é o sexto político que teve os bens bloqueados a pedido do Ncoc/MP. Leonardo Prudente (sem partido), Júnior Brunelli (sem partido), Eurides Brito (PMDB), Benedito Domingos (PP) e Rogério Ulysses (PRTB) também estão impedidos de movimentar patrimônio e negociar os bens (veja quadro). Dez distritais, entre titulares e suplentes, são investigados no âmbito da Caixa de Pandora. Somados os valores das seis ações cautelares até agora propostas pelo Ministério Público e acolhidas pela Justiça, os promotores conseguiram bloquear R$ 31,95 milhões dos acusados, dinheiro que, eventualmente, pode voltar para o governo. É quantia suficiente, por exemplo, para a construção de 12 escolas públicas ou de 30 unidades de pronto atendimento da saúde (Upas).
Dos seis políticos que foram atingidos pela ação do MP, Benedito Domingos e Rôney Nemer conseguiram se reeleger. Benedito, aliás, é o parlamentar cujo valor da causa é mais alto. Segundo cálculos do Ministério Público, ele pode ter de devolver R$ 6,97 milhões. Benedito é acusado de ter negociado, em 2006, o apoio do PP (partido que preside no DF) à candidatura de Arruda por R$ 6 milhões.
O deputado Rôney Nemer disse ao Correio que não tem nada a esconder e nada deve à Justiça. Segundo afirmou, todas as suas contas sempre estiveram disponíveis para a investigação policial. “Acho que uma ação como essa é injusta porque nunca recebi nada que fosse desonesto”, alegou. O distrital afirma que vai recorrer da decisão do juiz Álvaro Ciarlini tão logo tiver acesso ao processo. Na declaração de bens à Justiça Eleitoral, o deputado informou patrimônio de R$ 1,7 milhão.
Com informações do correioweb.