28 de abr de 2011

Câmara montará esquema especial de segurança para depoimento Durval Barbosa

A Câmara dos Deputados montará um esquema especial de segurança para receber o principal delator do esquema de corrupção que deu origem à Operação Caixa de Pandora. Durval Barbosa, irá depor na próxima quarta-feira, às 14h, no Parlamento. Ele poderá se pronunciar apenas sobre o caso de Jaqueline Roriz (PMN-DF). As perguntas feitas a ele serão avaliadas pelo presidente do Conselho de Ética, José Carlos Araújo (PDT-BA), e podem ser barradas pelos advogados do delator. “Ele vem como convidado. E se não quiser responder a uma pergunta, não precisa nem entrar com habeas corpus. Durval será respeitado como agente colaborador”, declarou ontem o relator do processo, Carlos Sampaio (PSDB-SP), após reunião do órgão.A fim de comportar a audiência, a sessão ocorrerá no Plenário 1 — onde são realizadas as reuniões da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) —, que é maior do que a sala do Conselho. Ainda assim, será aberta uma segunda sala com transmissão ao vivo do depoimento por meio de telão. Para ter acesso ao plenário, as pessoas precisarão passar por um detector de metal instalado na porta. O efetivo de segurança será reforçado e ficará sob a responsabilidade das polícias Legislativa da Câmara e Federal. A preocupação é manter a integridade física do delator. Desde a deflagração da Caixa de Pandora foram descobertos dois planos para matar Durval. Ele tem escolta policial 24 horas e foi incluído no Serviço de Proteção ao Depoente Especial, do Ministério da Justiça .


26 de abr de 2011

Benedito Domingos é notificado nesta terça por quebra de decoro

O Corregedor da Câmara Legislativa, Wellington Luiz (PSC), mandou notificar o distrital Benedito Domingos nesta terça-feira (26/4). A representação por quebra de decoro parlamentar do deputado foi encaminhada à Corregedoria da Casa no dia 12 deste mês. A partir do momento que Benedito receber o documento, terá o prazo de 10 dias úteis para apresentar a defesa. O processo contra o distrital chegou hoje à Corregedoria da Casa e Weliintong Luiz não utilizou o prazo de 24 horas para a notificação. Dois policiais que trabalham no gabinete do corregedor foram escalados para entregar o documento na casa do deputado.AcusaçãoBenedito é acusado de formação de quadrilha e de beneficiar parentes em licitações públicas na administração de Taguatinga, quando era o administrador. Os parentes foram favorecidos em licitações para a decoração natalina e de carnaval da cidade.
Com informações do correioweb.

Corregedor da Câmara apontará quebra de decoro contra Jaqueline Roriz

Parecer feito por Eduardo da Fonte destacará a existência de indícios de irregularidades cometidas pela deputada Jaqueline Roriz. Se for aprovado pelos demais integrantes da direção da Casa, novo processo será aberto contra ela no Conselho de Ética




Jaqueline Roriz (PMN-DF) sofrerá nos próximos dias a primeira derrota na Câmara dos Deputados. No parecer que apresentará durante reunião da Mesa Diretora, o corregedor, Eduardo da Fonte (PP-RN), afirmará que há indícios de quebra de decoro parlamentar e pedirá a abertura de processo disciplinar contra a deputada no Conselho de Ética. Será o segundo procedimento instaurado no órgão, mas o efeito desse será mais contundente do que o primeiro apresentado pelo PSol. Isso porque, se aprovado, o pedido de investigação será respaldado pelo presidente da Casa, Marco Maia (PT-SP), e pelos demais seis membros da mesa. A ação poderá resultar na cassação de Jaqueline Roriz poucos meses após a deputada assumir o primeiro mandato no parlamento federal.

Com informações do correioweb.

18 de abr de 2011

FHC desafia Lula para disputar eleição

O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso disse hoje que aceitaria disputar uma nova eleição contra o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O desafio foi feito em uma entrevista ao programa "Começando o Dia", do jornalista Alexandre Machado, que estreou hoje na Rádio Cultura FM. "Ele (Lula) esquece-se de que eu o derrotei duas vezes. Quem sabe ele queira uma terceira. Eu topo", afirmou Fernando Henrique, adversário histórico de Lula e que foi eleito e reeleito para a Presidência da República em disputa contra o petista. "Se ele quiser discutir comigo, eu estou aberto", completou. Fernando Henrique havia publicado um artigo na revista Interesse Nacional no qual defendeu que o PSDB deve deixar o "povão" e buscar votos na nova classe média brasileira. Na última quinta-feira, após uma palestra a investidores da Telefónica, em Londres, Lula criticou o texto: "Não sei como alguém que estudou tanto depois diz que quer esquecer do povão. O povão é a razão de ser do Brasil. E do povão fazem parte a classe média, a classe rica, os mais pobres, porque todos são brasileiros."
Fonte: Agencia Estado

11 de abr de 2011

100 DIAS DE GOVERNO – TONINHO DO PSOL DISPARA: “GOVERNO AGNELO ESTÁ RACHADO”

A polêmica começou depois de Filippelli conceder uma entrevista ao portal de notícias IG, publicada no dia 27 de março passado, na qual o vice-governador disse ter planos de concorrer ao Palácio do Buriti “no futuro”, segundo as palavras do vice-governador. Toninho do PSol, que foi candidato ao governo na eleição passada, considera a declaração de Filippelli oportunista e traição ao governador Agnelo Queiroz (PT). “Qual foi o objetivo do vice-governador ao conceder tal entrevista? Será que Filippelli quer mandar algum recado para o Agnelo”, comenta Toninho. “Seja como for, o vice-governador escolheu um péssimo momento para falar de eleição. Logo agora que o governo do Distrito Federal busca estabilidade política após a disputa nas urnas. Aliás, Agnelo enfrentar movimentos grevistas de várias categorias de trabalhadores. E greves sempre trazem problemas para a população do DF”. Além disso, Toninho acredita que o governo Agnelo está sendo conivente com irregularidades ocorridas em governos anteriores. “Veja só, até agora o governo Agnelo não promoveu qualquer investigação sobre as denúncias de irregularidades antigas”, aponta Toninho. “Acho que isso ocorre porque o atual governo do DF não tem cara e nem coragem, tamanho o leque de aliados”. “Nesses primeiros três meses do governo Agnelo, continuam acontecendo os mesmos problemas dos governos anteriores. Nada melhorou. Por exemplo, os hospitais públicos continuam caóticos. A rede pública de ensino continua pautando o noticiário dos jornais e a criminalidade campeia em todas as cidades do DF, principalmente nas localidades de Itapoã, Ceilândia e Planaltina”, destaca Toninho.

Especialistas avaliam 100 dias de governo Agnelo

O governo Agnelo Queiroz alcança hoje a marca política de cem dias. Segundo especialistas e autoridades, a gestão petista teve um começo regular. A moralização e reestruturação da máquina pública são os principais pontos positivos do novo governo. Mas a falta de uma proposta de gestão bem definida, o baixo número de projetos em andamento e a dificuldade de sintonia com a Câmara Legislativa pesam em desfavor de Agnelo. Para o cientista político Valdir Puccir, o principal erro do governador é a demora para resposta das promessas emergências da campanha, a exemplo da crise na Saúde. “O governo ficou a desejar. Agnelo acreditava que seria possível responder tão rápido para esses problemas na campanha. Mas, talvez, ele tenha se surpreendido com a dificuldade para saná-los quando tomou posse. E ainda tem o fato que ele prometeu ser secretário da Saúde no começo de governo. Não foi e ainda temos os problemas na área até hoje”, disparou Puccir. Na análise do cientista político Leonardo Barreto, o governo petista derrapou em outros aspectos. “Ele não deixou claro ainda qual é seu plano de governo, quais serão suas políticas públicas para Brasília. É Educação? Saúde? Segurança? Ninguém sabe.

Com informações da redação do Jornal de Brasília

5 de abr de 2011

Dança das cadeiras na Administração de Águas Claras

Segunda baixa oficial no governo Agnelo: o administrador de Águas Claras, José Júlio de Oliveira, foi exonerado. A suspeita é de que ele estava usando a máquina para fazer campanha eleitoral antecipada para deputado distrital. O deputado Chico Leite (PT) havia indicado o nome dele e retirou o apoio. O atual chefe de gabinete, Rubem Ferreira da Costa, fica no lugar. Outras mudanças devem ocorrer no governo, possivelmente um secretário deve sair. Oliveira nomeou o advogado José Pereira da Silva para o posto de assessor jurídico e diz que o deputado distrital Chico Leite não gostou da indicação. “Eu fui informado que o deputado tinha ficado extremamente magoado com essa nomeação, tendo em vista ele ter tido um desentendimento com essa pessoa, que já foi inclusive assessor dele”, afirma. O Deputado afirmou que, em conversa com o governador Agnelo Queiroz, disse que retirou o apoio a José Júlio, mas não pediu a demissão. O presidente regional do PT, Roberto Policarpo, reclama que o partido não foi consultado sobre a demissão. “O administrador estava fazendo um bom trabalho, tinha um bom relacionamento com a comunidade, portanto, não tinha motivo nenhum. Cabe ao governo explicar ao partido e à população a saída do governador”, avalia Policarpo. A assessoria do governador respondeu apenas que essas mudanças são normais em começo de governo. O atual chefe de gabinete, Rubens Ferreira da Costa, assumiu o cargo de administrador interinamente. Com informações do correioweb.