11 de abr de 2011

Especialistas avaliam 100 dias de governo Agnelo

O governo Agnelo Queiroz alcança hoje a marca política de cem dias. Segundo especialistas e autoridades, a gestão petista teve um começo regular. A moralização e reestruturação da máquina pública são os principais pontos positivos do novo governo. Mas a falta de uma proposta de gestão bem definida, o baixo número de projetos em andamento e a dificuldade de sintonia com a Câmara Legislativa pesam em desfavor de Agnelo. Para o cientista político Valdir Puccir, o principal erro do governador é a demora para resposta das promessas emergências da campanha, a exemplo da crise na Saúde. “O governo ficou a desejar. Agnelo acreditava que seria possível responder tão rápido para esses problemas na campanha. Mas, talvez, ele tenha se surpreendido com a dificuldade para saná-los quando tomou posse. E ainda tem o fato que ele prometeu ser secretário da Saúde no começo de governo. Não foi e ainda temos os problemas na área até hoje”, disparou Puccir. Na análise do cientista político Leonardo Barreto, o governo petista derrapou em outros aspectos. “Ele não deixou claro ainda qual é seu plano de governo, quais serão suas políticas públicas para Brasília. É Educação? Saúde? Segurança? Ninguém sabe.

Com informações da redação do Jornal de Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário