5 de abr de 2011

Dança das cadeiras na Administração de Águas Claras

Segunda baixa oficial no governo Agnelo: o administrador de Águas Claras, José Júlio de Oliveira, foi exonerado. A suspeita é de que ele estava usando a máquina para fazer campanha eleitoral antecipada para deputado distrital. O deputado Chico Leite (PT) havia indicado o nome dele e retirou o apoio. O atual chefe de gabinete, Rubem Ferreira da Costa, fica no lugar. Outras mudanças devem ocorrer no governo, possivelmente um secretário deve sair. Oliveira nomeou o advogado José Pereira da Silva para o posto de assessor jurídico e diz que o deputado distrital Chico Leite não gostou da indicação. “Eu fui informado que o deputado tinha ficado extremamente magoado com essa nomeação, tendo em vista ele ter tido um desentendimento com essa pessoa, que já foi inclusive assessor dele”, afirma. O Deputado afirmou que, em conversa com o governador Agnelo Queiroz, disse que retirou o apoio a José Júlio, mas não pediu a demissão. O presidente regional do PT, Roberto Policarpo, reclama que o partido não foi consultado sobre a demissão. “O administrador estava fazendo um bom trabalho, tinha um bom relacionamento com a comunidade, portanto, não tinha motivo nenhum. Cabe ao governo explicar ao partido e à população a saída do governador”, avalia Policarpo. A assessoria do governador respondeu apenas que essas mudanças são normais em começo de governo. O atual chefe de gabinete, Rubens Ferreira da Costa, assumiu o cargo de administrador interinamente. Com informações do correioweb.

Nenhum comentário:

Postar um comentário