28 de jan de 2010

Omézio falta a depoimento

Do Correio Braziliense: Apesar de ter sido intimado a prestar depoimento à Polícia Federal na manhã desta quinta-feira (28), Omézio Pontes, um dos citados no inquérito da Operação Caixa de Pandora, não compareceu à Superintendência da PF no Distrito Federal. Por volta das 11h, o delegado responsável pela operação, Alfredo Junqueira, desistiu de esperar e desmarcou o depoimento. A oitiva estava marcada para as 10h.
O ex-assessor do Governo do Distrito Federal será novamente intimado a comparecer em outra data. Ele não sofre punição por ter descumprido a primeira intimação. Caso não compareça ao novo chamado, a polícia tem autorização para buscá-lo em sua casa. Além da Polícia Federal, havia membros do Ministério Público presentes no local aguardando o comparecimento de Omézio. O jornalista Edmilson Edson dos Santos, o “Sombra”, deve depor às 14h30. Edson Sombra é um dos principais responsáveis pela delação premiada de Durval Barbosa.

27 de jan de 2010

Geraldo Naves é o novo presidente da CPI que investiga esquema de corrupção no DF


A CPI da Corrupção da Câmara Legislativa trocou o presidente da comissão antes mesmo de começar a investigar o esquema de propinas montado no governo do Distrito Federal.
Pressionado pelo PPS para abandonar o bloco de apoio ao governador José Roberto Arruda, o deputado Alírio Neto (PPS) foi substituído pelo deputado Geraldo Naves (DEM).
Neto deixou nesta terça-feira (26) o bloco PMDB-PPS e, com isso, a vaga na comissão parlamentar de inquérito foi reivindicada pelos peemedebistas, no critério de proporcionalidade das bancadas na Casa.
"Por determinação do meu partido me desliguei do bloco do PMDB, e é de bom senso indicar alguém que não tenha sido citado no inquérito. Vou continuar contribuindo com a CPI, mesmo fora dela, com a esperança de que os trabalhos vão ter continuidade", disse Alírio.
O bloco do PMDB conta com três deputados, todos citados como suspeitos de envolvimento no esquema de propinas: Eurides Brito, Roney Nemer e Benício Tavares, e por isso repassou para o Democratas, indicando o nome do deputado Geraldo Naves para ocupar o cargo.
Hoje (27), a Câmara Legislativa do DF vai eleger o novo presidente, após a renúncia do deputado Leonardo Prudente (sem partido).

25 de jan de 2010

Alírio sugere afastamento de Arruda

Em discurso no plenário da Câmara Legislativa, o presidente da CPI, Alírio Neto, acaba de pedir o afastamento do governador José Roberto Arruda do cargo. “O Distrito Federal sofre um momento difícil. Nunca vimos um escândalo como esse”, afirmou. “Eu sugiro ao governador Arruda que ele tenha o mesmo gesto nobre de Leonardo Prudente e se afaste por conta própria do GDF”.

Alírio diz que CPI continua valendo

Na sessão de hoje a tarde (25), o deputado Alírio Neto (PPS) confirmou que a CPI da Codeplan não foi encerrada. A decisão da semana passada, segundo ele, era de apenas suspender a comissão parlamentar até que houvesse um entendimento sobre a decisão do juiz e a possível anulação do requerimento de instauração da CPI. Esclarecida a questão judicial, a CPI ainda está valendo.
“Eu terminei a reunião de quinta-feira (21) declarando apenas que a ’sessão está encerrada”, afirmou o presidente da CPI, Alírio Neto. ”Não sou eu que crio escolas-bases por aí”, completou, fazendo alusão ao caso da escola paulista acusada pela imprensa de crime de pedofilia em 1994 que depois foi inocentada pela Justiça, para culpar a imprensa pelos discursos contraditórios dos distritais nos últimos dias.

Prudente renuncia


Leonardo Prudente (sem partido) renunciou à presidência da Câmara Legislativa. A carta que comunica o afastamento do parlamentar do cargo foi lida, agora a pouco, pelo distrital Raimundo Ribeiro (PSDB), em uma reunião da Mesa Diretora. A carta de duas linhas foi assinada por Prudente na última quinta-feira (21/1), mas apenas com a leitura dela, esta manhã, o afastamento se confirma. Apesar de não ser mais presidente da Casa, o parlamentar permanece na Câmara até o fim do mandato, em dezembro deste ano. Os parlamentares têm sete dias para eleger um novo presidente. Os nomes mais cotados para assumir o cargo são: Wilson Lima (PR), Eliana Pedrosa (DEM), Benedito Domingos (PP) e Batista das Cooperativas (PRP).

21 de jan de 2010

Acaba a CPI da codeplan


MÁRCIO FALCÃO
da Folha Online, em Brasília .


Os aliados do governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (sem partido) na Câmara Legislativa lançaram mão de uma manobra nesta quinta-feira e anunciaram o fim da CPI que foi criada para investigar o suposto esquema de arrecadação e pagamento de propina. Os governistas utilizaram a decisão da Justiça de afastar oito deputados distritais suspeitos de envolvimento no escândalo de corrupção para justificar o encerramento dos trabalhos. A decisão dos aliados ocorre um dia após a Polícia Federal confirmar o depoimento do ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa, autor das denúncias, à CPI. O presidente em exercício da Câmara, Cabo Patrício, disse que ainda está discutindo a decisão da Justiça e que não foi informado do fim da CPI. Para o presidente da CPI, Alírio Neto (PPS), que é ex-secretário de governo de Arruda, mesmo sem a presença de nenhum suspeito na composição da CPI, os trabalhos não podem continuar porque o requerimento que deu origem à comissão contou com a assinatura desses parlamentares suspeitos. "Acho que a decisão judicial tomada ontem anula o requerimento que aprovamos nesta Casa da autoconvocação. Até decisão em contrária, a CPI está afetada pela decisão. Está nula desde o seu início. Assim é a decisão encaminhada a Presidência desta Casa", disse. O deputado Batista das Cooperativas (PRP), outro aliado de Arruda, reforçou o entendimento. "O Judiciário não quer que esta Casa se manifeste. A CPI que era um instrumento legal para a apuração, inclusive já com convocações, foi anulada", disse. Batista, que era relator dos pedidos de impeachment contra Arruda na CCJ, afirmou que a decisão da Justiça era uma interferência entre os Poderes. "Foi prejudicada a própria CCJ, que já tinha prazo em curso, e esta relatoria iria se manifestar inclusive antes do prazo. Então fico sem entender. Vejo como uma ingerência descabida do Judiciário no Legislativo. A CPI esta encerrada neste momento e não pelos seus membros, mas por uma decisão judicial", disse. O deputado Paulo Tadeu (PT), único representante da oposição da CPI, tentou evitar a manobra. "A decisão do juiz trata do processo de impeachment do governador. Em nenhum artigo o mesmo trata da comissão", afirmou. Em funcionamento desde o dia 11 de janeiro, a CPI realizou duas reuniões. Na primeira, foram eleitos presidente e relator, e na outra conseguiram aprovar a convocação do ex-secretário Durval Barbosa para prestar esclarecimentos e de 23 representantes de empresas que são citadas no inquérito do STJ (Superior Tribunal de Justiça) que investiga as denúncias de arrecadação e pagamento de propina.

Quem decide é a executiva, avisa PDT


O presidente regional do PDT, Ezequiel Nascimento (foto), desautorizou ontem qualquer acordo que venha a ser feito com o PT pelo senador Cristovam Buarque e pelo deputado José Antônio Reguffe. Avisou que decisões nesse sentido cabem ao partido. "Hoje", frisou Ezequiel, "não há qualquer negociação em curso, com o PT, por parte da Executiva Regional do PDT". O presidente acredita que uma articulação poderá efetivamente acontecer no futuro, mas cabe apenas aos órgãos partidários conduzi-las e ratificá-las. "Afinal, quem decide é o partido", afirmou Ezequiel.

Fim do recesso

O presidente interino da Câmara Legislativa, Cabo Patrício (PT) convocou todos os parlamentares a comparecerem à Casa a partir das 10h do dia 25, segunda-feira, colocando fim ao recesso parlamentar.

20 de jan de 2010

Os suplentes da vez


Com a decisão do TJDF, sai os deputados envolvidos e entra os suplentes, confira quem são:


Sai Aylton Gomes (PR), entraria Pedro do Ovo (PRP), também afastado - entra Olair Francisco (PTdoB)
Sai Benedito Domingos (PP), entraria Berinaldo Pontes (PP), também afastado - entra Mário da Nóbrega
Sai Benício Tavares (PMDB) - entra Wigberto Tartuce (Vigão)
Sai Eurides Brito (PMDB) - entra Ivelise Longui (PMDB)
Sai Júnior Brunelli (PSC) - entra Raad Massouh (DEM)
Sai Leonardo Prudente (sem partido) - entra Washington Mesquita
Sai Rogério Ulysses (PSB) - entra Joe Valle (PSB)
Sai Roney Nemer (PMDB) - entra Roberto Lucena

Tribunal de Justiça afasta deputados

O juiz Vinicius Santos Silva da 7ª Vara de Fazenda Pública do TJDF decidiu na tarde desta quarta-feira (20) conceder o pedido de liminar da ação civil pública apresentada pelo Ministério Público do DF, pedindo o afastamento dos oito deputados distritais envolvidos nas denúncias da Operação Caixa de Pandora. O juiz decidiu que os parlamentares estão impedidos de participar de qualquer ato de processamento e julgamento do impeachment do governador José Roberto Arruda.
Para não prejudicar o quórum das votações do impeachment, o juiz tomou uma decisão curiosa: o afastamento dos deputados não será definitivo e não fará com que sejam substituídos nos mandatos por seus respectivos suplentes. Mas, nas votações relacionadas à investigação, os suplentes devem sim ser convocados - com exceção, claro, dos dois também envolvidos no caso.
Confira trecho da decisão:
“Defiro a antecipação dos efeitos de tutela meritória, reconhecendo o impedimento dos deputados distritais Aylton Gomes, Benedito Domingos, Benício Tavares, Eurides Brito, Júnior Brunelli, Leonardo Prudente, Rogério Ulisses, Roney Nemer, bem como dos suplentes Berinaldo Pontes e Pedro do Ovo, para atuarem no processo de Impeachment deflagrado, determinando:

1) O imediato afastamento dos parlamentares mencionados, réus nesta demanda, de toda e qualquer atividade vinculada ao processo de impeachment do Governador do Distrito Federal, em tramitação na Câmara Legislativa do Distrito Federal;


2) A imediata intimação do presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, ou de quem lhe faça as vezes, para que convoque os respectivos suplentes (não suspeitos/impedidos) dos deputados ora afastados, na forma regimental, respeitada a proporcionalidade partidária e ordem de suplência, para que atuem EXCLUSIVAMENTE no processamento e votação de toda e qualquer atividade vinculada ao processo de impeachment, sob pena de multa diária de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), a contar do quinto dia após a intimação;


3) O reconhecimento da invalidade de todo ato deliberativo já praticado, no qual houve a interferência direta e cômputo do voto dos deputados ora afastados;”. Com informações do blog da Paola Lima.

19 de jan de 2010

Patrício quer suspender recesso da Câmara Legislativa, caso assuma a presidência


Caso assuma a presidência da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o vice-presidente, deputado Cabo Patrício (PT), disse ontem que vai suspender o recesso parlamentar e acelerar o andamento dos processos de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido).
Patrício fez a declaração horas depois que o juiz da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal, Álvaro Ciarlini, ter determinado a saída imediata de Leonardo Prudente (sem partido) da presidência da Câmara Legislativa. Um dos suspeitos de participar do esquema de recebimento de propina do governo local, em troca de apoio político, ele foi flagrado em vídeo colocando dinheiro nas meias.
A Câmara Legislativa está funcionando em regime de autoconvocação, com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal.
Cabo Patrício defendeu que a Mesa Diretora da Casa não recorra da decisão do juiz Ciarlini. Segundo o parlamentar, cabe a Prudente tentar reverter a situação.
O parlamentar petista e mais dois membros da Mesa Diretora – Wilson Lima (PR) e Raimundo Ribeiro (PSDB) – reuniram-se para discutir a determinação judicial que afasta Prudente do cargo.

18 de jan de 2010

TJDF manda Leonardo Prudente sair


O distrital Leonardo Prudente (sem partido) acaba de ser afastado da presidência da Câmara Legislativa por meio de uma liminar proferida pelo juiz Álvaro Ciarline da 2ª Vara de Fazenda Pública do Distrito Federal. A decisão da Justiça em caráter preventivo atende ao pedido da Ação Popular número 523-4 de 2010, que pedia o imediato desligamento de Prudente do comando da Câmara. O pedido usou como base uma carta assinada por Prudente na qual ele comunica o retorno às atividades de presidente da Casa a partir de 29 de dezembro. O deputado é acusado de integrar o suposto esquema de corrupção que ficou conhecido como mensalão do DEM. Ele foi flagrado em vídeo acomodando nas roupas e meias dinheiro recebido pelo ex-secretário de Relações Institucionais do GDF Durval Barbosa. Com informações do Correiweb.

Fim da linha para P.O , será?


A informação é do jornalista Luiz Carlos Azedo.

O vice-governador Paulo Octávio (foto) comunicou à cúpula do DEM que não pretende se candidatar ao governo do Distrito Federal em 2010. “Foi uma decisão familiar, tomada com a minha esposa e os meus filhos”, disse ontem, à coluna, por telefone, direto de Nova York.

A prioridade de Paulo Octávio, segundo um assessor, é a preservação do grupo empresarial que lidera há 30 anos. Pesou na balança a posição irredutível da esposa de Paulo Octávio, Ana Cristina, neta de Juscelino Kubitschek, e a opinião dos quatro filhos. A decisão foi tomada nos Estados Unidos, onde Paulo Octávio passou o fim de ano com a família. E foi comunicada ao presidente nacional do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ).
Com isso, o sistema de poder que administra o Distrito Federal, cujo vértice era composto pelo governador José Roberto Arruda e o vice Paulo Octávio, está praticamente fora da disputa de 2010. É praticamente impossível uma recomposição das forças políticas que sustentam o atual governo com o ex-governador Joaquim Roriz (PSC), que é candidato ao Palácio do Buriti.

Tanto Arruda, que luta para chegar ao final do mandato, como Paulo Octávio, em vias de abandonar a política, atribuem a Roriz a responsabilidade pelas denúncias feitas pelo ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa.

14 de jan de 2010

Manobra arriscada


Saiu publicado no Jornal de Brasília de hoje (14), na coluna do Alto da Torre a seguinte nota:

"Vem aí uma encrenca para o PPS brasiliense. O presidente licenciado, Fernando Antunes (foto), que era chefe de Gabinete da Secretaria de Saúde, pretende retornar ao cargo. Nos bastidores, diz que se trata de manobra para fortalecer uma eventual candidatura do deputado Alírio Neto ao governo do Distrito Federal. Antunes enfrenta, porém, forte resistência da ala mais tradicional do PPS, aquela originária do antigo Partido Comunista Brasileiro. A iniciativa pode acabar em confronto".

Particurlamente eu acho improvável uma cadidatura de Alírio para o governo, ele tem dito aos quatro ventos que quer disputar a reeleição, mas em política tudo é possível, vamos aguardar a poeira baixar.

13 de jan de 2010

Quebra de sigilos


O ministro Fernando Gonçalves, do STJ, concedeu pedido do Ministério Público Federal de quebra de sigilos bancário e fiscal do governador José Roberto Arruda e outras seis pessoas, além de seis empresas que prestam serviço ao governo e duas entidades.
Veja quem são:
Governador José Roberto Arruda
Conselheiro Domingos Lamoglia
Fábio Simão (ex-chefe de gabinete)
Omézio Pontes (ex-assessor de imprensa)
José Luiz Vieira Valente (ex-secretária de Educação)
Deputada Eurides Brito (PMDB)
Deputado Leonardo Prudente (presidente da Câmara Legislativa)
Gibrail Gebrim (assessor da secretaria de Educação)

Empresas:
Adler, Vertax, Info Educacional, Uni Repro, Linknet, CTIS

Entidades:
Associação Brasiliense dos Amigos do Arruda no Distrito Federal e Instituto Fraterna

Nota da assessoria de imprensa do governador:
Com relação à decisão do STJ de quebrar o sigilo bancário e fiscal do Governador José Roberto Arruda informamos que:

O Governador José Roberto Arruda não foi notificado sobre a quebra do sigilo bancário e fiscal, mas reafirma que desde o inicio do processo colocou a disposição da justiça todas essas informações.


André Duda
Assessor de Imprensa do Governador

11 de jan de 2010

Alírio e eleito presidente da CPI

O deputado Alírio Neto (PPS) foi eleito presidente da CPI que vai investigar esquemas de corrupção no governo do Distrito Federal. A vice-presidência também vai ficar com um aliado de Arruda: Batista das Cooperativas (PRP). Na presidência da CPI Alírio vai comandar as investigações contra o Governador Arruda acusado pelo Ministério Público e pela Justiça de participar de um esquema de desvio de recursos públicos para pagamento de contas de campanha e da base aliada na Câmara, o chamado mensalão do DEM. Para completar o trio de maior responsabilidade nas investigações, o presidente Alírio indicou para ser relator o deputado Raimundo Ribeiro-PSDB.

Geraldo Naves é o novo presidente da CCJ


O deputado Geraldo Naves (Dem) que assumiu o mandato parlamentar após a volta do deputato Paulo Roriz (Dem) à Secretaria de Habitação, foi eleito presidente da Comissão de Constituição e Justiça da CLDF. A CCJ é uma das comissões mais importantes da casa, cabe a ela mandar para o plenário ou arquivar os pedidos de impeachment do Governador Arruda.

Manifestação na Câmara Legislativa

Começam hoje os tabalhos na Câmara Legislativa, os deputados vão escolher os nomes que vão integrar a CPI da corrupção e os relatores dos processos de impeachment contra o Governador e deputados distritais envolvidos na operação Caixa de Pandora. Neste momento, vários manifestantes estão em frente à Câmara Legislativa - de um lado, aqueles que querem vêr o Governador Arruda longe do Buriti - do outro, aqueles que querem que o Governador fique. Fazendo um balaço geral, observei que tem mais gente do lado do Governador. O clima ainda é ameno e pode esquentar a qualquer momento.

7 de jan de 2010

Folia garantida


A BrasíliaTur confirmou o cronograma para repasse do patrocínio das escolas de samba da cidade. O primeiro pagamento foi feito no último dia 4 e a outra metade do patrocínio será repassada no próximo dia 15. Um mês antes da realização do carnaval. Portanto, a folia tá garantida, pode comprar sua fantasia e pular na avenida, ou melhor, na passarela - do samba.

6 de jan de 2010

Cristovam é plano B de Serra após mensalão do DEM

Com o governador José Roberto Arruda (sem partido) fora da disputa pelo governo do Distrito Federal - por causa do mensalão do DEM -, o PSDB do governador paulista e presidenciável José Serra faz planos para montar um palanque alternativo em Brasília. A ideia é fazer parceria entre os tucanos e o PDT do DF, com o senador Cristovam Buarque (foto) encabeçando uma chapa para disputar o governo local. Serra deve procurar Cristovam nos próximos dias, com o objetivo de sondá-lo sobre a candidatura ao Palácio do Buriti, sede do governo de Brasília.Os dois se entendem bem desde 1994, quando Serra, então senador, subiu no palanque de Cristovam, na disputa pelo governo do DF contra o candidato do PMDB, Joaquim Roriz. O apoio do PSDB no segundo turno da corrida eleitoral, após a derrota de sua candidata Maria de Lurdes Abadia, foi decisivo para a vitória de Cristovam, que à época era filiado ao PT. Ainda hoje, o senador pedetista é grato pelo apoio do tucanato que, àquela altura, acabara de derrotar Luiz Inácio Lula da Silva na disputa presidencial.A gratidão pelo apoio pretérito, porém, não é sinônimo de parceria futura. Não em se tratando do governo do Distrito Federal. "Não é isso que eu quero", afirma Cristovam. O projeto pessoal pelo qual o pedetista trabalha é a reeleição para o Senado. Mas o pedetista não fecha a porta para Serra trabalhar a montagem de palanque. "Reconheço que, se o Roriz for candidato, vai ser muito difícil eu dizer não à população", diz o senador. "Onde vou, cobram minha candidatura e me dizem que eu não posso deixar o governo do DF na mão da mesma turma", afirma Cristovam, referindo-se à velha parceria entre Arruda e seu padrinho político Joaquim Roriz. Não por acaso, Arruda mantinha antigos funcionários de Roriz no governo, entre os quais o autor das denúncias do mensalão do DEM, Durval Barbosa. Inquérito da Polícia Federal que apura o escândalo dá conta de que o esquema de arrecadação de propinas com empresas contratadas pelo governo do DF teve origem não na administração Arruda, mas no governo anterior de Roriz.
PT COM PMDB
Cristovam diz ter "ótima conversa com Serra" e que a relação do PDT paulista com o governador também é muito boa. "O Paulinho sempre foi próximo de Serra", afirma o senador, em referência ao deputado Paulo Pereira da Silva, dirigente pedetista e presidente da Força Sindical. Lembra, porém, que se o assunto é sucessão de 2010, Serra terá de procurar o PDT de São Paulo para conversar.Ele também tem esperança de que Roriz desista da candidatura, livrando-o da pressão para disputar o governo. Embora o ex-governador tenha trocado o PMDB pelo PSC com objetivo de garantir legenda para disputar a corrida ao Buriti e esteja em campanha há três meses, Cristovam afirma que ele sempre destacou que sua maior motivação para entrar na briga local pela quinta vez era Arruda.Na solenidade de filiação ao PSC, o próprio Roriz destacou que estava "quieto" em seu "canto", quando Arruda começou a criticar seu governo, para em seguida dizer que seu único temor era o de que o governador desistisse da briga. Como Arruda desistiu, Cristovam agora torce para que Roriz faça o mesmo. Seja qual for o cenário, também lhe causam incômodo as cobranças por dividir a "esquerda", na hipótese de se lançar contra o candidato do PT, Agnelo Queiroz.Aliado ao PSB do deputado Rodrigo Rollemberg (DF), Agnelo mudou-se do PC do B para o PT exatamente para tentar encurtar o caminho até o Palácio do Buriti. A despeito da má vontade do presidente Lula, que não quer facilitar a vida de um crítico do governo no Senado, Agnelo e Rollemberg trabalham pela parceria com Cristovam, abrindo-lhe uma das duas vagas para senador. A segunda ficaria com o deputado petista Geraldo Magela. Isso, depois de ampliar a aliança atraindo o PMDB que já abandonou Arruda. Com a bênção de Lula, o PT de Brasília quer entregar a vaga de vice de Agnelo ao presidente do PMDB do DF, deputado Tadeu Filippelli.

Christiane Samarco - O ESTADO DE S. PAULO

5 de jan de 2010

Nota oficial


Após reunião com o secretariado, o governo divulgou uma nota oficial sobre as principais medidas para os próximos dias. Veja a íntegra da nota:


“O Governador José Roberto Arruda, juntamente com os Secretários e Dirigentes de Empresas, realizou hoje a primeira reunião de avaliação e planejamento do GDF para o ano 2010.
Os pontos mais importantes tratados na reunião foram:
1- O GDF pagou todas as faturas vencidas até 31/12/2009. Todas as contas do governo estão rigorosamente em dia.
2- Todas as 2.034 obras estão com seus cronogramas em dia e serão inauguradas nas datas previamente marcadas.
3- O GDF entregou hoje ao presidente da CBF, Dr. Ricardo Teixeira, e ao secretário geral da FIFA, Sr. Jérôme Valcke, o relatório dos projetos relativos à Copa 2014.
4- Começarão amanhã, inclusive nos finais de semana, mutirões de cirurgia em todos os Hospitais da Rede Pública de Saúde do DF.
5- As matrículas na Rede Pública de Ensino foram iniciadas ontem e vão até 15 de janeiro e estão ocorrendo dentro da normalidade. Na quinta-feira, dia 7 de janeiro, serão empossados os novos diretores das escolas públicas.
6- O GDF reafirma que neste ano em razão do programa “NOTA LEGAL” os pagamentos de IPTU e IPVA deverão ser pagos em Abril e Maio respectivamente. Os valores do IPTU e do IPVA não serão corrigidos.”

Reunião com Secretariado


O Governador José Roberto Arruda está reunido neste momento com todo o seu Secretariado no salão principal do Buritinga. O Governador fará um balanço das obras em andamento e cobrará de seus auxiliares agilidade nas ações de governo para 2010. A equipe de Arruda providenciou um bolo para o Governador soprar as velinhas, hoje ele completa 56 anos.

4 de jan de 2010

O jogo começou

Começou o jogo político para as eleições de outubro, de um lado, o PT com sua chapa quase pronta, do outro, o ex-governador Roriz, quebrando a cabeça para escalar aqueles politicos que estavam no banco de reservas. Correndo por fora está a turma do Governador Arruda, o candidato deverá ser o vice Paulo Octávio, que não está nada fácil montar sua chapa depois da operação Caixa de Pandora.