4 de ago de 2009

Médicos da rede pública podem entrar em greve

O Sindicato dos Médicos do Distrito Federal (SindMédico) realiza, hoje, assembleia geral da categoria para definir se os profissionais da rede pública local entram ou não em greve. De acordo com o presidente do sindicato, Gutemberg Fialho, há 30 dias eles se reuniram com o governador José Roberto Arruda para discutir o cumprimento do acordo fechado no ano passado. O presidente afirmou, ainda, que a imagem hoje da saúde no DF é reflexo do que o médico enfrenta no seu dia-a-dia: sobrecarga de trabalho e péssimas condições. “Desde o ano passado estamos esperando por melhores condições de trabalho e contratação de mais médicos e até agora nada”, explica Fialho. A Secretária de Saúde do DF informou, por meio de sua assessoria de comunicação, que no momento está negociando com o sindicato, e que o órgão não se pronunciará acerca da suposta indicação de greve. O sindicato já teria em mãos uma proposta do GDF, que foi apresentada na quinta-feira (30), da semana passada. Hoje a proposta deverá ser apresentada para os filiados, que se reúnem, às 19h, na sede do sindicato. O presidente da entidade acredita que hoje será definido o que for melhor para os médicos e por consequência para a população. “Com o cumprimento do acordo, não só os médicos vão sair ganhando, mas a população também”, ressalta o médico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário