3 de dez de 2011

Comissão de Ética não é "comissão de mentirinha" diz ex-ministro.


O presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Sepúlveda Pertence, defendeu o colegiado no encerramento de um seminário sobre ética, na tarde de sexta-feira (02/12), afirmando que não se trata de uma "comissão de mentirinha". A expressão teria partido, segundo Pertence, do senador Pedro Simon, ao criticar antigas punições dadas pelo grupo, que o senador teria julgado insuficientes. O conselheiro disse que pretende enviar na próxima segunda-feira as explicações pedidas pela presidente Dilma Rousseff, sobre a recomendação de exoneração do ministro do Trabalho, Carlos Lupi. “Ações como esse seminário vêm marcando desde o início da fundação dessa comissão de mentirinha, como já dizem uns, (para se referir à) Comissão de Ética da Presidência da República”, afirmou durante o discurso, explicando depois. "Foi uma referência de um caríssimo amigo meu, o senador Pedro Simon, insatisfeito com alguma omissão. É triste de qualquer órgão que tenta cumprir o seu dever e é criticado quando faz aquilo que se achava que não se devia fazer ou vice-versa, não faz porque não achou provas". Sepúlveda já tomou conhecimento do ofício enviado pela chefe da Casa Civil a pedido de Dilma Rousseff, mas, embora só planeje enviar na segunda-feira os documentos, já adiantou que não pretende mudar seu voto. "Eu votei absolutamente convencido, mas é claro que um pedido de reconsideração é para ser examinado e estudado", afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário