29 de jun de 2012

PGR denuncia 38 suspeitos de envolvimento no mensalão do DEM


O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, denunciou nesta sexta-feira (29) ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) 38 pessoas suspeitas de envolvimento no mensalão do DEM, suposto esquema de corrupção que teria desviado recursos do governo do Distrito Federal para pagamento de propinas para autoridades. Gurgel deu a declaração após sessão da qual participou no Supremo Tribunal Federal (STF) nesta manhã. Entre os denunciados estão o ex-governador do DF José Roberto Arruda (sem partido), apontado pelo Ministério Público Federal (MPF) como chefe da suposta organização criminosa. O advogado de Arruda, Nélio Machado, disse ao G1 que não havia sido notificado da denúncia. "Estou fora do escritório, assim que chegar vou tomar conhecimento do caso e a gente pode voltar a se falar", disse. No mês passado, ele havia dito que havia falta de conteúdo nas denúncias contra Arruda. Também fazem parte do rol de denunciados o ex-vice-governador do DF Paulo Octávio, o delator do esquema, Durval Barbosa, deputados distritais e o conselheiro do Tribunal de Contas do DF Domingos Lamoglia. Pelo cargo que Lamoglia ocupava,tinha direito a foro privilegiado, o que levou a denúncia para o STJ. A assesoria do ex-vice-governador disse que não tinha conhecimento da denúncia e que só se manifestaria depois de falar com Paulo Octávio. O G1 entreou em contato com Domingos Lamoglia e com a advogada de Durval Barbosa, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. Segundo Gurgel, os suspeitos foram enquadrados, basicamente, nos crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Com 180 páginas, a denúncia relata com detalhes como operavam os integrantes da suposta organização criminosa. Segundo Gurgel, os operadores do esquema teriam “inovado” ao introduzirem na administração pública o “reconhecimento de dívida”. Um decreto publicado por Arruda permitiu a realização de pagamentos pelo governo do DF mesmo sem que fosse comprovada a prestação de serviços. O método assegurou contratações com dispensa de licitação, principalmente de empresas do setor de informática. “Por meio disso, generosíssimos pagamentos eram feitos a diversas empresas, e claro que, em retribuição, os empresários mantinham pagamentos regulares, mensais a diversas pessoas do governo do DF”, relatou Gurgel.

Um comentário:

  1. Muito suspeito essa denuncia sair próxima a denuncia do PT, isso é pra acorbertar a denuncia do PT isso sim. Esse PT ta armando com Gurgel só pode isso, e Arruda que foi o melhor governador do DF que pagou por um erro qeu nem foi dele.

    ResponderExcluir