31 de out de 2012

DF é o terceiro do país em número de doadores de órgãos


O Distrito Federal alcançou o terceiro lugar no ranking nacional de doadores de órgãos por milhão de habitantes. De 1º de janeiro a 30 de setembro deste ano, foi registrada a média de 20,8 pessoas, índice que ultrapassa o estado de São Paulo, que tem 19,1 doadores por milhão de população. Santa Catarina, com 25,6 registros, ficou em primeiro lugar. Em segundo, o Ceará, com 22,1. Os dados são da Agência Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO) e foram publicados ontem no Registro Brasileiro de Transplantes (RBT).

A divulgação do levantamento promovido pela ABTO aconteceu no mesmo dia em que a Central de Captação de Órgãos iniciou  a avaliação de pacientes para começar os transplantes de pulmão no Distrito Federal. Somente cinco unidades da Federação realizam esse procedimento.

Ainda segundo a ABTO, o DF ficou em primeiro lugar no ranking nacional de potenciais doadores por milhão de habitantes, com média de 96,5. Em seguida vêm Acre, com 76,3, e Mato Grosso do Sul, com 69,7.

“Essa é a demonstração prática de que estamos recuperando o serviço público. Quando assumi, esse setor estava um caos. O transplante de rim tinha perdido o credenciamento no Ministério da Saúde, e o de fígado não era feito há anos”, destacou o governador Agnelo Queiroz. “Para mudar esse quadro, investimos na infraestrutura da Central de Captação de Órgãos”, completou...


Referência
De acordo com os registros, o DF conquistou neste ano o primeiro lugar nacional no número de transplantes de coração e córnea por milhão de habitantes. Também alcançou o quarto lugar na realização de transplantes renal e hepático.

Segundo o secretário de Saúde do Distrito Federal, Rafael Barbosa, antes desta gestão o número de transplantes tinha diminuído drasticamente no DF devido à falta de doações. “Esses números estavam descendo a ladeira. Trabalhamos, e o resultado é o de hoje: o DF como excelência em transplante de órgãos, infraestrutura e gestão”, afirmou Barbosa.

Para a coordenadora da Central de Captação de Órgãos, Daniela Salomão, o trabalho de conscientização realizado por toda a equipe de saúde nos hospitais e demais unidades contribuiu para alcançar os atuais resultados. “Além disso, o reforço do Samu [Serviço de Atendimento Movél de Urgência] nas emergências e a melhoria do atendimento nas vias públicas e na rede conseguiram reverter o baixo índice de doações que tínhamos. Isso tudo colocou o DF como destaque no cenário nacional dos serviços de alta complexidade”, informou a coordenadora.

Os interessados em fazer doações podem entrar em contato com a Central de Captação de Órgãos pelo telefone 3315-1755 ou pelo e-mail centraldetransplantedf@gmail.com .
Com informações da Agência Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário