3 de jul de 2009

GDF comete crime ambiental


Desde quando as obras de duplicação da via DF079 e da construção da ciclovia nas quadras 3 e 4 do Park Way o GDF coleciona atitudes de desrespeito ao contribuinte brasiliense. As obras da ciclovia estão desordenadas. “Elas obedeceram um projeto decidido pelo órgão”, afirma o superintendente de obras do DER, Roberto Leda. Mas o que se vê é algo totalmente diferente: a ciclovia passa próxima a pista principal e em alguns lotes, ha cerca de 1 metro do portão. “A ciclovia dá volta no percurso e chega quase a entrar na minha residência”, afirma o aposentado Deusderid de Sousa. “Já contatei todos os responsáveis pela obra e eles afirmam que nada podem fazer. Sou eu enquanto cidadão que tenho que arcar com os prejuízos da falta de segurança pela pista passar rente ao meu portão de acesso”, completa. Crime ambiental - A empresa responsável pela obra arranca as plantas nativas do cerrado e jogam sem qualquer preocupação com o meio ambiente. É o que aconteceu com dois moradores: Milton Miura que teve suas palmeiras de 27 anos arrancadas; e, Deusderid de Sousa, que além das palmeiras de 20 anos de idade, teve arrancados os ipês, árvore nativa da região e de proteção ambiental. Os responsáveis pela obra no GDF, Roberto Leda e Fábio Cardoso, engenheiro responsável, foram procurados e se negaram a prestar quaisquer conhecimentos, afirmando que a terra é pública e os moradores nada têm a reclamar. “Pagamos IPTU com valor altíssimo e temos que suportar tal falta de respeito com o cidadão como esta”, afirma o morador do Park Way.
Serviço: Morador Park Way Deusderid de Sousa – 35522764 -91137969

Nenhum comentário:

Postar um comentário