4 de ago de 2010

O preço de uma vaga de deputado distrital

Não adianta proibir. Mesmo com as restrições das campanhas eleitorais deste ano, os candidatos a deputado distrital continuam investindo pesado para vencer a batalha. Em média, cada um dos 834 postulantes às 24 vagas devem gastar, no mínimo, R$ 750 mil na tentativa de assumir o cargo. "Nesta conta, estamos colocando apenas as campanhas profissionais, daqueles que realmente pensam em ganhar a corrida", explica o diretor da Associação Brasileira de Consultores Políticos do Distrito Federal (Abcop-DF), Alexandre Bandeira. O DF tem um dos votos mais caros do País, garante Bandeira. Conquistar o eleitor brasiliense custa, em média, R$ 42, sendo que em outros estados como o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, por exemplo, o valor varia de R$ 7 a R$ 8. "Brasília é uma cidade muito cara. A mão de obra aqui tem um dos valores mais elevados do Brasil. A gasolina é mais cara, os profissionais são mais caros, a alimentação é mais cara. Tudo colabora para que as campanhas não sejam nada baratas", ressalta Bandeira.

Para o consultor de marketing político César Larry Monteiro, as cifras de um investimento em campanhas profissionais – aquelas dos candidatos que terão mais chances de vencer – não são menores do que cerca de R$ 1 milhão. "Isso em média, para trabalhos voltados ao dia a dia de uma campanha. Para alguns, esse valor praticamente triplica, seja por motivo de experiência em usar meios impróprios ou por falta de experiência e contratações erradas", destaca Monteiro. Pelos valores aplicados nas campanhas dá para se ter uma idéia de quem serão os ganhadores da disputa, segundo Bandeira. "Aqueles que serão eleitos estão mais próximos de R$ 1 milhão". O famoso corpo a corpo, aposta de muitos postulantes a distrital, também sai caro, de acordo com o consultor. "Aí, você investe em pessoal (equipe para panfletar), gasolina, aluguel de carro, motorista, material de distribuição. Não é nada barato", diz. Bandeira e Larry detalham ainda onde os valores são aplicados: equipe, programas de rádio e televisão, impressão de panfletos, aluguel de comitê, jingles, comícios e reuniões, carros de som e corpo a corpo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário